sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Câmara derruba exigência de requerimentos em plenário


A Câmara de Vereadores de  Campinas extinguiu ontem uma prática que impedia a fiscalização do Executivo pelos vereadores de Campinas. Os vereadores aprovaram o fim da exigência de se aprovar, em plenário, requerimentos de informações sobre atos da Prefeitura de Campinas. A estratégia de reprovar esses pedidos sempre foi utilizada pela base governista para impedir investigações sobre assuntos nevrálgicos da Administração.
A proposta de alteração partiu do vereador Artur Orsi (PSDB). A obrigatoriedade de aprovação em plenário “prestava um desserviço à sociedade campineira, já que dificultava a fiscalização dos atos do Executivo e a transparência necessária”, diz o tucano. O parlamentar disse que só ele teve mais de dois mil requerimentos rejeitados pelo plenário durante as gestões do ex-prefeito cassado Hélio de Oliveira Santos.
Fonte Blog da Rose

Cassação do ex-prefeito Hélio completou um ano com resultados positivos


Completamos um ano da cassação do prefeito Hélio de Oliveira Santos, ocorrida em sessão histórica na Câmara Municipal de Campinas, em agosto de 2011. Como autor do pedido de impeachment do então chefe do executivo, creio que não seja uma data a ser comemorada. Porém, para jamais ser esquecida, já que fica marcada como uma firme resposta ao maior escândalo político da história de Campinas.
Com a cassação, estancamos a sangria dos cofres públicos da cidade. A Justiça bloqueou bens dos envolvidos no esquema, inclusive os de Hélio, que teve ainda seus direitos políticos suspensos, e de sua esposa e primeira-dama Rosely Nassim Jorge Santos. Além disso, todos os acusados respondem a processo criminal.
Na sequência à cassação, após sete anos como opositor da gestão do então prefeito, presidi a CPI da Corrupção, que apurou desvios da ordem de R$ 180 milhões dos cofres públicos municipais e também estabeleceu responsabilidades pela aprovação de empreendimentos imobiliários irregulares na cidade.
Portanto, após um ano da primeira cassação de um prefeito na história de Campinas, é possível fazer um balanço positivo de nossa contundente atuação fiscalizadora dos atos do Executivo Municipal.